8 de junho de 2011

as consequências de um nome mal-criado (extra: bolo de banana sem farinha)



Antes de começar a bater panelas, vou desenrolar um pequeno monólogo. Perdoem-me. Quem quiser, pode pular e ainda me xingar nos comentários.


Já passou um ano e pouco desde o primeiro post desse blog, portanto acho que já posso tecer alguns comentários sobre os sucessos e fracassos do mesmo.

Começo pelo nome: ao pensar em fazer um blog sobre tudo que eu cozinho, asso ou misturo na tigela, quis um nome que sintetizasse o momento exato da escolha de ingredientes. Afinal, no início, eu realmente riscava o fósforo como quem fecha a porta do consultório do psiquiatra. Só que a minha opção é bem mais barata. Então optei por "Tô puta e vou cozinhar" e quem me conhece sabe o quão puta eu fico com coisas que parecem insignificantes (um exemplo-vedete deste blog: os taxistas). Estou sempre reclamando, até quando estou feliz. Eu não sou totalmente carrancuda, uma pessoa desagradável de conviver (hm, tem dias que sim), etc., é apenas mais forte que eu. Se bem que ultimamente - não sei se por causa do blog ou da mudança de ambiente e rotina - eu tenho estado bem mais agradável até para mim mesma. Mas enfim. Optei por este lindo e dúbio nome que na hora não me pareceu que resultaria num destino comum a vários e vários punheteiros sem noção de como pesquisar pornografia nesta incrível e recheada web.

Não posso reclamar de falta de acessos. Americanos, russos, portugueses, ingleses, alemães, franceses, canadenses, espanhois, holandeses, indianos, cingapurenses, argentinos e croatas (e claro, quase 5 mil brasileiros) ávidos por cenas medonhas de moças se satisfazendo com leguminosas acabam invariavelmente em alguma página deste blog. Este blog lindo, sem capricho algum, que há apenas três posts conta com fotos em resolução decente. Não é o máximo ser troll sem querer?

Nunca imaginei que alguém que procura "a melhor puta do mundo" não fique inteiramente satisfeito com os primeiros resultados que o Google aponta. Até que página esta pessoa foi para encontrar isto? E o pior - o que a faz clicar mesmo lendo o início de uma receita na tela de buscas? Ok, às vezes os títulos não ajudam muito, confesso.

O que minha criatividade me permite imaginar é: os gringos encontram no vocábulo "puta" uma excelente tag para se deleitarem com imagens eróticas da pior qualidade & ao lerem o nome do blog imaginam que eu sou algum tipo de cozinheira nudista que topa fazer programa entre uma fornada e outra (eu juro que ia tentar um trocadilho entre "fornada" e "fornicada", mas para o bem da internet, ficarei quieta).

O que acontece então? Vez ou outra me deparo com procuras lindas como "puta do iogurte" (minha preferida até agora, a pessoa clica e vê essa sensacional salada), "puta das frutas" e "vadia do leite condensado com cenoura". E, na verdade, a única coisa que me chateia nisso é que eles nem se dão ao trabalho de comentar algo. O que eu quero é comentário, capicce? Tá liberado falar mal da comida, da foto, etc., etc., o que acharem necessário ser dito.

Então fica aqui o meu apelo em negrito: Alô, taradões! Vocês não almoçam? Não jantam? Façam o favor de avaliar o conteúdo aqui exposto. Apenas uma restrição: nada de palavrões. Aqui, só eu posso.

Enquanto nada extraordinário acontece (por exemplo, eu começar a levar este blog a sério), vou continuar com o vocabulário e as experimentações, se é que vocês me entendem. Não vou regular o tom nem nada, punheteiros. Bem feito, quem mandou não saber procurar nos sites certos?

UPDATE: de ontem pra hoje teve um que pesquisou "comendo a puta na pia da cozinha" e caiu exatamente neste post. O intrigante nesta história é o que esse moço tinha uma tela recheada de links adequados à sua pesquisa, mas teimou em abrir o meu também. Que pena, hein, amigo?




E agora, ao bolo. Essa receita é da Flora, e tudo que vem dela eu assino embaixo antes mesmo de experimentar. Daí fui lá, copiei a receita e venho aqui atestar quão bom é esse bolo. Fica úmido e fofinho (que cazzo, agora tudo que escreverei aqui vai soar como putaria extrema) e leva uns 50 minutos no forno. Estas medidas rendem 15 bolos em forminhas e uma pequena, de bolo inglês.



Mudei pouquíssima coisa. A principal diferença mesmo é que consegui abatumar - não sei se foi o choque térmico, o fermento ou se eu simplesmente não consigo confiar no tempo de forno que a receita indica (na verdade, voto nesta última).


240g aveia em flocos
1/2 xícara de óleo de canola
3 bananas grandes
3 ovos
1 1/2 xícara de açúcar
1 1/2 colher de chá rasa de gengibre cortado bem pequeno
1 colher de chá de canela em pó
1 pitada de sal
1 colher de sopa de fermento químico

Bate-se no liquidificador as bananas, o óleo, os ovos e o açúcar. Em uma tigela vai a aveia, gengibre, canela e sal e a mistura de banana, mexido até ficar bem homogêneo.

(A Flora diz pra deixar descansar por 10 minutos para que a aveia absorva a umidade dos outros ingredientes, o que torna o bolo mais fofinho, então façam isso!)

Por fim, vai o fermento misturado com jeito e tudo vai pro forno pré-aquecido a 180 graus. Eu deixei lá por 50 minutos.






Eu comi tudo isso da forma em duas refeições: gula pós-bolo-pronto e o café da manhã de hoje. Já os minibolos sumiram todos lá na agência. Aí antes de sair de casa, fiquei tirando foto e perdi o ônibus... mas já escrevi demais por hoje.

14 comentários:

  1. Lari21:01

    1) Achei a primeira foto muito bonita.
    2) Também gostaria de ver comentários dos tarados
    3) Monólogo muito bem pensado e escrito
    4) Quando que eu vou ganhar bolo de novo, HEIN?
    hehehe

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. 1) Yes, perdi o ônibus por uma boa causa;
    2) Vamos torcer!
    3) Obrigada, eu nem reli, haha.
    4) Gente, é verdade! Pensando agora, aquele bolo* foi o pior de todos, mas que bom que até desse você gostou. :)

    *esse aqui, pra quem ficou curioso: http://estupidoce.blogspot.com/2011/03/nao-aguento-mais-bolo-de-laranja-com.html

    ResponderExcluir
  3. ahahhahahahah

    No meu eles procuram por "cartaz para banheiro"

    Deu vontade de fazer esse bolo, mas não tenho forma =(

    ResponderExcluir
  4. Ah meu deus!
    Revelações que só as estatísticas do blogger podem trazer.
    Tô rolando de dar risada. hahahaha

    Bom, primeiro deixa eu encher o teu saco: "Bate-se no liquidificador as banana". ;)

    Feito isso: pensei que eu tinha escrito lá no blog, o descanso de 10 minutos serve pra aveia absorver a umidade dos outros ingredientes.
    Assim o bolo fica mais fofinho no final.
    Acrescentei um comentário no meu próprio post pra esclarecer isso pra galera.

    PS: a foto do topo do post ta linda de viver, parece que tu mora em uma fazenda. :)

    Agora vou lavar a louça (quase toda a louça que eu tenho, aliás) e partir pra leitura.

    Beijos, bonita!

    ResponderExcluir
  5. cazzo, como eu escrevo comentários/ emails enormes e nem percebo!

    ResponderExcluir
  6. Felipson: meus tarados são mais legais que os teus cagões. Deal with it!

    Flora: ai, credo, vou lá arrumar! E aproveito pra colocar a observação na receita. Obrigada! :*

    ResponderExcluir
  7. Anônimo21:48

    Post cheio de palavras chave...

    Put*, caralh*, punheteir*s, v*dia, nudista, taradões e fotos com resolução. Aposto um belo pedaço desse bolo com formato inovador, que este passar de longe a polentina. Se bem que digitando polentina no google, vem 'to puta e vou cozinhar' logo de cara...

    Bom, espero que o blog não vire a sensação dos taradões.

    Bjo Gata.

    ResponderExcluir
  8. Anônimo21:49

    Gata tmb é palavra chave!

    ResponderExcluir
  9. Ih, o bolo acabou, vamos apostar outra coisa?

    ResponderExcluir
  10. Tu nao responde mais meus emails?

    ResponderExcluir
  11. Deixa de ser besta, João, faz meia hora que respondi.

    ResponderExcluir
  12. Agora todos queremos saber sobre o que é o email.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo15:45

    João mandou email taradão, seguindo o tema do post.

    ResponderExcluir