5 de agosto de 2014

banana pra você: duas receitas de bolo

Ok, isso não é uma banana, mas vocês entenderam.

Leiam este post com aquela canção dramática do Roberto Carlos em mente. Podem chorar, porque ela é ridícula, assim como as receitas de hoje ("meu cachorro me sorriu latindo"? WTF?!), que são ridículas de fáceis, mas terei dó de vocês e colocarei como "intermediário" porque lavar liquidificador é um saco e automaticamente eleva a dificuldade da receita. Sei que vocês amam bananas e se não amam, com certeza odeiam ter cãimbras. Compre uma penca de banana-prata, caturra ou qualquer outra que você esteja disposto a pagar e faça um destes bolos para animar a semana e evitar aquela cara de dor na aula de ioga. O sol curitibano foi embora, o vento voltou a ser gélido e, aparentemente, voltei a postar aqui. Não será uma semana fácil pra vocês, leitores.

São duas receitas porque tenho noção de que fui desnaturada. Faz mais de um mês que postei pela última vez e, mesmo que tenham sido dois textos que reciclei do meu trabalho final da pós-graduação (vejam vocês: sou especialista. quem diria? eu que não), eu não me envergonho. Banana pra vocês. Não tá fácil escrever pra dois blogs, ter um emprego sério, colocar as leituras em dia e manter a casa limpa. Alguma coisa fica de escanteio, adivinhem o quê? Tudo. Mas acertou quem disse "manicure", porque faz um tempo que isso significa "pedaços de esmalte coloridos no refogado de abobrinha".

Por falar em bananas, lembram quando a coisa mais ofensiva que a gente conseguiria proferir era "ó pra ti" e encaixar um braço na dobra do cotovelo? Então. Eu fiz o caminho inverso: comecei com o palavreado pesado e hoje dedico, sutil e mentalmente, meu antebraço aos desafetos. Mas não pra vocês, era brincadeira. Na verdade, aqui estão as bananas no formato que vocês merecem (infelizmente não é o que algumas pessoas gostariam de relacionar com o título do blog):



bolo formidável de banana
5 bananas bem maduras em rodelas (só use as cascas se forem orgânicas)
1 caixinha de leite condensado (pode ser de soja)
1 colher de sopa bem cheia de gordura de coco (pode ser manteiga)
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo (ou o quanto precisar para dar o ponto)
1/2 xícara de água para dar o ponto da massa
1 colher de sopa de fermento em pó
canela para decorar

Lave bem as bananas, tire a casca e pique em rodelas finas. Se forem bananas orgânicas, pique as cascas bem miudinhas e descarte as partes machucadas. Coloque tudo em uma tigela e junte o leite condensado e a gordura de coco. Misture bem e adicione aos poucos a farinha de trigo. Quando ficar muito duro para bater, acrescente um fio de água, o suficiente para mexer novamente. Faça isso até usar toda a farinha que achar necessário – quanto mais farinha, mais rende o bolo. Eu coloquei no máximo duas xícaras porque queria que a banana fosse o principal e nem sei se cheguei a usar toda a água. Confie nos seus instintos. Misture o fermento e coloque em forminhas. Salpique canela por cima e asse por 50 minutos em forno pré-aquecido a 180 graus ou até o palito sair seco ao espetar a massa. Deixe os cinco minutos finais em forno mais alto para dourar e devore com café.




bolo freestyle de banana e inhame
1 xícara de farinha de trigo integral
1/2 xícara de farinha de trigo branca
1 e 1/2 xícara de açúcar mascavo
1 xícara de creme de inhame (um pouco dissolvido em água)
1 colher de chá de canela em pó
2 - 3 bananas
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio (opcional)
1 colher de chá de sumo de limão ou vinagre (opcional)

cobertura
2/3 de xícara de chocolate meio amargo derretido
2 - 3 colheres de açúcar mascavo
1/4 de xícara de creme de inhame (bem espesso)


Programe-se para fazer o creme de inhame antes: descasque as raízes, lave e deixe de molho por, no mínimo, quatro horas. Para esta receita, dois inhames grandes bastam; a verdade é que não medi, então faça o quanto quiser e se sobrar a responsa é tua. Creme de inhame azedo na geladeira não é bem a coisa mais cheirosa do mundo. Descarte a água e coloque-os em uma panela com água fervente por cinco minutos. Inhame baba, você sabe, né? Espero não estar falando com piazotes de prédio. É a viscosidade do inhaque que vai dar a cremosidade e malemolência do creme. Com ele, você também pode fazer molho branco (uso diluído em água no lugar do leite) e engrossar sopas. Tão versátil quanto babão.
Bata no liquidificador na proporção de 1 parte de inhame para 1 de água (acrescente mais meia xícara de água se o liquidificador não aguentar – vai dar certo mesmo que ele esteja líquido como uma nata). Em uma tigela, peneire os ingredientes secos e misture. Bata no liquidificador 1 xícara de creme de inhame com as bananas. Acrescente água se preciso. Despeje esta mistura nos secos e bata a massa. Acrescente o limão ou vinagre e coloque em uma forma de 20 cm de diâmetro, aproximadamente. Asse em forno pré-aquecido a 180 graus C por 40 minutos ou até o bolo soltar da forma. Desenforme e prepare a cobertura: derreta o chocolate e misture com o açúcar e o creme de inhame. Prove e corrija a doçura de acordo com o seu paladar e a textura da cobertura com mais inhame ou mais chocolate. Eu gosto mais amargo e bem firme, ou seja, pouco açúcar. Cubra o bolo. A cobertura seca em duas horas, aproximadamente, mas nada impede você de fazer lambança e cortar o bolo antes.

Agora façam um favor pra mim e comentem alguma coisa. Não sou obrigada a aturar vocês sendo blasés no meu próprio domínio.com.br.

4 comentários:

  1. Lembrei deste vídeo no início.
    https://www.youtube.com/watch?v=LdGai72Tt8Y

    ResponderExcluir
  2. Se eu fizer o bolo formidavel de banana numa forma redonda de bola? Será que rola?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro senhor Balzac,
      Como a internet não é do seu tempo, imagino que compreendas a demora para responder este comentário. Acredito que dê certo, sim.

      Espero que encontre leite condensado na sua época.

      Saudações,
      Flávia.

      Excluir