27 de outubro de 2014

molho oriental comunista para comer criancinhas

Uma vez que o golpe bolchevique é evidente, acho pertinente que aprendamos os melhores e mais rápidos acompanhamentos para devorar crianças e outros inocentes assim que soar o toque de recolher. Caso vocês não saibam, haverá racionamento de toda sorte de ingredientes. Viraremos Cuba assim: o Brasil inteiro vai encolher até o tamanho da ilha de Fidel e ficaremos boiando no Atlântico. Acabar-se-ão as fronteiras com os países sul-americanos. Terá praia pra todo mundo, inclusive pra Bolívia.

E com esse encolhimento de território, não plantaremos mais soja ou milho. Nem alface, nem feijão, nem teremos áreas para criar boi à vontade. A ditadura proibirá o facebook (aliás, toda a internet sairá do ar) e as eleições – se você não havia pensado nisso, sugiro que pegue um livro de História e também aprenda mais cinco receitas com batata para evitar a futura monotonia do paladar. Viveremos intercalando o choro da autopiedade em praça pública ("o povo não sabe votar!", "chega de bolsa esmola!", "na ditadura militar que era bom!", "fora petralhas! não votei em vocês!") com os passos lentos de quem espera em pé em uma fila interminável de um supermercado com dez caixas, mas só três trabalhando. Eu, se fosse você, estocaria sua marca preferida de maple syrup, sabia? Porque já imaginou que tristeza ter que ficar sem suas panquecas ao estilo americano quando o governo proibir a seção de importados?

Minha sugestão para comemorar esse futuro maravilhoso de igualdade na pobreza é um molho vermelho (claro!) travestido de diversidade de opiniões: temos pimentão, cebola e até cogumelos, mas a graça mesmo é a combinação de tomate com gengibre. Nada melhor para honrar a dinastia Mao. Vamos juntos, companheiros?



1/2 cebola em pétalas
um toquinho de gengibre bem picadinho
1/2 pimentão amarelo em tiras
1/2 pimentão vermelho em tiras
300 g de cogumelo Paris em fatias grossas
4 tomates
açúcar, sal, shoyu e óleo de gergelim a gosto
salsinha para finalizar

Com pouco óleo de gergelim em uma frigideira quente, comece a refogar a cebola e o gengibre. Antes que grude, coloque um pouco de açúcar para caramelizar. A cebola vai começar a ficar mais molinha. Tempere com sal e adicione os cogumelos. Deixe-os soltar água com a panela tampada, mexendo de vez em quando, só para checar se não estão secando. Acrescente os pimentões e o shoyu e mexa bem. Tampe novamente e deixe cozinhar por uns dois minutos, enquanto pica os tomates. Acrescente os tomates, tampe. Estará pronto quando os tomates estiverem bem desmanchados, mas com um pouco de líquido. Desligue o fogo e junte a salsinha. Cozinhe o bifum por um minuto ou dois em água fervente e adicione ao molho. Tá pronto.


[é pra conter ironia, mas só me responsabilizo pelo que zoei falei, não pelo que você entendeu]

Nenhum comentário:

Postar um comentário