8 de setembro de 2015

aprendamos com os erros: laranjinhas caramelizadas com curry

Foto: Apneia Filmes

Dando continuidade às postagens de receitas que retratam a minha inabilidade para reproduzir coisas que parecem simples, apresento-lhes um chutney de kinkan que aprendi a fazer em uma aula-show em uma escola de gastronomia aqui de Curitiba. Só que ele não ficou do jeito que deveria: não tá nem próximo ao que deveria ser um chutney – o que não invalida comê-lo. Acredito que esta seja a comprovação de que eu só funciono cozinhando no improviso (e com tomates). Estou aqui pensando que pode ser que a laranjinha não estivesse muito suculenta também. Pode ser que a culpa não seja só minha.



Tofu grelhado com salsinha e laranjinhas dá uma boa combinação se você não tem problemas com amargor. Foto: Apneia Filmes.

Apesar de não ter ficado envolto em líquido cremoso e exuberante, o sabor era o que eu esperava: meio amargo, meio doce, picante. Então não foi um fracasso completo, foi? Servi com tofu grelhado e salada: folhas de alface bem fresquinhas, salsinha, aceto balsâmico e azeite quebraram um galho quando tive que preparar e comer tudo em menos de 40 minutos. Este chutney foi apresentado pelo chef Aguinaldo Monteiro, do Espaço Gourmet Escola de Gastronomia, e juro que segui à risca o que estava escrito, mas, como eu já disse em outro post, há dias em que acordamos com as duas mãos esquerdas. Ah! E também dupliquei a receita, mas as medidas são tão simples que não parecia que desandaria. Dizem que devemos aprender com os erros. Mas serei sincera: acho que demora para refazer essa receita aqui. Tenho outras de chutney que adaptei há quase dois anos e quero refazê-las: morango, manga, abacaxi e banana.

Foto: Apneia Filmes

Fiquei em dúvida se usava a palavra kinkan ou xinxim, que é como chamamos em Santa Catarina. Na dúvida, fui de "laranjinhas" porque achei mimoso. Como vocês chamam esta fruta?

Laranjinhas. Foto minha.

Vejam aí a receita, testem e me contem se também fracassaram:


Laranjinhas caramelizadas com curry
(há quem chame esta laranja de xinxim ou kinkan)

20 laranjinhas cortadas em quatro partes
2 colheres de sopa de açúcar mascavo
1 colher de sopa de curry (usei o Taj Mahal, que comprei a granel na Sissi Especiarias no Mercado Municipal)
2 colheres de sopa de vinagre de vinho branco
água (sim, sem medida mesmo. mais uma forma de ter certeza que vai errar)
sementes de coentro a gosto
1/2 de colher de chá de pimenta dedo-de-moça bem picadinha

Foto: Apneia Filmes

O chef disse: "sempre se começa um chutney com o açúcar" e eu, obediente, coloquei em uma panela quente o açúcar até dar aquela derretidinha. Em seguida, as laranjinhas e mexi com uma espátula para ficarem bem envoltas no caramelo. "Em seguida, o ácido": vinagre então. Você vai ver que não vai ter uma grande mudança. 

Misturei tudo e acrescentei a pimenta e o curry. Mexi, mexi e coloquei as sementes de coentro e, aos poucos, água o suficiente para não grudar no fundo. E abafei. Deixei cozinhar por uns cinco minutos em fogo brando, olhando de vez em quando e pingando água quando achava necessário. Quem sabe eu devesse ter posto mais açúcar e também mais água? Só fazendo de novo para saber. Tirei do fogo cerca de 10 minutos depois de ter abafado, porque as laranjinhas estavam bem macias ao morder.

Um comentário:

  1. babei. sou apaixonada por xinxim, que nunca chamarei de ~kinkan~

    ResponderExcluir