25 de setembro de 2015

murchando abobrinhas para salvar refeições

Foto: Apneia Filmes

Já escrevi sobre a falta de comida fresca em casa. Já escrevi sobre excesso de comida fresca em casa. Sobre uma derrota. Sobre uma vitória. Hoje queria falar sobre a salvação de qualquer refeição: abobrinhas (e/ou berinjelas) no azeite. Com um pote desses na geladeira consegui fazer um sanduíche, uma salada de pote e uma macarronada.

A photo posted by Flávia Schiochet (@flanzie) on



Eu usei um fatiador de legumes simples que veio junto com a mudança do Chile. Ele está quebrado, mas tem um jeitinho que eu seguro e consigo fatiar rapidamente cinco abobrinhas e deixá-las fininhas para dourar na frigideira. Eu conservo em azeite em um vidro fechado na geladeira com alho e folhas de manjericão (que ficam bem gostosos para usar em outras receitas depois) e vou usando durante a semana. Nesta receita que fiz para a foto foram cinco abobrinhas. Elas perdem muito volume, então calcule uma abobrinha por pessoa se for acrescentar ao molho de uma macarronada, por exemplo.

Não é bem uma receita, mas se você está começando na cozinha agora, vou tentar deixar bem explicadinho. E, qualquer dúvida, grita aqui nos comentários!


Foto: Apneia Filmes

Pegue duas abobrinhas e corte bem rente ao cabo e aquele nozinho embaixo. São as partes mais duras que podem emperrar na lâmina e deixar a fatia feiosa. Se você tiver um fatiador de legumes ou um daqueles raladores com quatro faces, use. Caso não, você pode fazer com uma faca bem afiada, mas vai demorar mais e talvez as fatias saiam muito irregulares. Não ligue pra isso, o importante é tentar fazer a receita. Abobrinhas pequenas são boas para quem usar raladores comuns (de quatro faces) porque suas lâminas geralmente são bem pequenas e nós queremos que as fatias saiam inteiras.


Foto: Apneia Filmes

Lamine todas as abobrinhas e então aqueça uma frigideira. Se for anti-aderente, coloque bem pouco azeite de oliva e mexa a panela para o azeite escorrer para toda a superfície, só para não grudar inicialmente. Não vai precisar colocar mais azeite até o final, é só no começo mesmo. Coloque as fatias e aguarde mudarem de cor. Elas ficam com um aspecto molhado e um pouco amareladas. Se você for usá-las para fazer caneloni fake, vire quando ainda estão tenras. Se deixar mais tempo e quiser elas queimadinhas, serve para colocar em saladas e sanduíches. Quando estão mais escuras o gosto amargo predomina; se você não gosta desse contraste, não deixe queimar. Eu adoro e como todas direto da panela. Deixe as abobrinhas esfriarem em um bowl aberto. Você pode salgar elas diretamente na panela ou na hora de guardar em um vidro hermético.


Foto: Apneia Filmes

Em um vidro bem limpo coloque um fio de azeite de oliva para melar todo o fundo e as "paredes" dele e acrescente as abobrinhas em temperatura ambiente. Intercale com folhas de manjericão bem limpas e secas. Outras ervas, como tomilho e alecrim, ficam deliciosas também. Gosto mais do sabor delas frescas, mas você pode tentar com ervas desidratadas e me contar o que achou. Para esta quantidade de abobrinhas (duas pequenas), um dente de alho sem casca basta. Coloque-o inteiro ou corte ao meio para colocar um em cada "canto" do vidro. As abobrinhas com o tempo vão pegar esses aromas e ficarem deliciosas para comer até puras, como um belisco de mesa de bar.


Douradinhas e amarguinhas. Foto: Apneia Filmes

Dá para fazer o mesmo com berinjelas e inclusive guardá-las no mesmo pote. Quanto mais azeitadas, melhor ficam conservadas. Por isso as deixo bem sequinhas e coloco azeite até todas estarem bem oleosas. As berinjelas são mais difíceis de cortar com o laminador se não estiverem frescas, então treine bem suas habilidades com a faca. Eu fiz aquele corte gostoso no dedão semana passada. Não dá pra se distrair.


Para conservar as abobrinhas por mais tempo não precisa colocar azeite até o tapar, mas pelo menos deixar todas bem oleosas. Aguenta um mês na geladeira se você tirar bem o líquido delas na frigideira antes de colocar no óleo. Foto: Apneia Filmes

Então não se esqueçam:
1. Se tiverem um pretendente, averiguem com cuidado o que ele tem na cozinha para saber se vale a pena juntar os trapos (a não ser que vocês casem com pompa e circunstância, aí podem pedir presente de casamento e já é outra história: peça uma mandoline);
2. Cuidem dos seus dedinhos;
3. Tirem duas horas da sua vida e uma frigideira grande do armário para esta receita, porque essas duas horas vão salvar suas próximas refeições em poucos minutos;
4. Escolham uma noite fria (eu superaqueci minha barriga e suei muito);
5. Comam com o que quiserem e me contem depois.

7 comentários:

  1. Anônimo11:46

    oi! adorei a receita! em que momento entra o sal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado, vou acrescentar na receita. Dá pra salgar na hora em que estão na panela ou depois, direto no bowl. Ou dá pra deixar sem sal mesmo. Volte sempre e se apresente. :)

      Excluir
  2. Gostei, vou tentar fazer :)

    ResponderExcluir
  3. Gostei, vou tentar fazer :)

    ResponderExcluir
  4. Com berinjela eu faço sempre uma receita bem parecida, porém uso também fatias bem fininhas de cebola e e dentro do pote faço um caldo parecido com uma conserva (com vinho, vinagre balsamico, suco de limao e azeite). Uma dica importante pra berinjela é que acho que ela tem um amargor, entao antes de fazer qualquer receita com ela, corto da maneira q vou usar e salpico sal, espero uns 15-20min e lavo e escorro (sai um liquido bem escuro qnd faço esse processo).

    ResponderExcluir